Resenha: Jogos Vorazes - Suzanne Collins


Aloha! Depois de milhões de anos sem que eu (Julie) postasse uma resenha aqui, resolvi o dar o ar da minha graça.



  • Título: Jogos Vorazes
  • Autora: Suzanne Collins
  • Editora: Rocco
  • Ano: 2010
  • Páginas:400

“Katniss escuta os tiros de canhão enquanto raspa o sangue do garoto do distrito 9. Na abertura dos Jogos Vorazes, a organização não recolhe os corpos dos combatentes caídos e dá tiros de canhão até o final. Cada tiro, um morto. Onze tiros no primeiro dia. Treze jovens restaram, entre eles, Katniss. Para quem os tiros de canhão serão no dia seguinte?"
Após o fim da América do Norte, uma nova nação surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?

O que você espera de Jogos Vorazes? Sobre o que você quer ler? Aventura? Romance? Ação? Tudo? É incrível como o livro parece se encaixar perfeitamente entre os requisitos acima.

Esqueça o mundo como ele existe agora. Em uma sociedade pós-apocalíptica, a América do Norte agora pertence aos doze distritos (a nação de Panem), que são comandados pela Capital. Apesar de ser uma história futurística, parece que a sociedade fizeram boas regressões para uma época de repressões e censura. O Jogos Vorazes foram criados pela Capital, onde 24 adolescentes (um garoto e uma garota de cada Distrito) entre 12 e 18 anos são levados a uma arena e apenas um pode sair vivo. Nossa heroína, Katniss, mora no Distrito Doze, um dos mais pobres, senão o mais pobre de todos, onde – com o pai já morto –, ela assumiu a liderança da família e caça junto ao seu amigo Gale para sustentar sua mãe e sua irmã mais nova, Prim.

Tirando as crianças dos nossos distritos, forçando elas a matar umas as outras enquanto assistimos – esse é o modo da Capital nos lembrar de que pertencemos a eles. Como seriam pequenas as chances de sobrevivermos a outra rebelião. Sejam quais forem as palavras que eles usem, a mensagem é clara: “Olhe como pegamos seus filhos e sacrificamos eles e não há nada que vocês possam fazer. Se levantarem um dedo, vamos destruir até o último de vocês. Assim como fizemos com o Distrito Treze.”

Tenho quase certeza que a maioria das pessoas que leram Jogos Vorazes vai concordar comigo quando eu disser que Katniss Everdeen é uma das protagonistas mais independentes e corajosas que eu já vi. A começar pelo fato de que ela faz de tudo para alimentar sua família e ainda mais quando ela tomou o lugar da sua irmã quando ela foi sorteada para participar dos Jogos. Como poderia alguém não respeitá-la por isso? E quanto ao garoto do Distrito Doze que vai para os Jogos com ela? Peeta tem uma personalidade linda e, apesar de ter morado em uma parte não tão pobre do Distrito, ele é completamente generoso e ajudou Katniss no passado, por isso ela pensa estar em dívida com ele. Tudo que ela poderia desejar é que alguém o matasse antes que ela mesma tivesse que fazer isso.

Ler esse livro foi uma experiência e tanto! A descrição perfeita Suzanne Collins me apresentou a um mundo diferente, com pessoas e costumes diferentes. Eu me revoltava com o modo que as pessoas pareciam se conformar com as formas de punição para só então perceber que aquele é o mundo deles. Como foi fácil, para mim, criticar quando eu conheço a liberdade e eles não. Mas claro que existiam aqueles que se revoltavam, e na maioria das vezes não tinham um final muito feliz. Em Panem, a impressão é de que eles estão sempre sendo ouvidos.

“Não, quando a hora chegar, eu tenho certeza que vou matar assim como todo mundo. Eu não posso cair sem lutar. Eu só fico pensando em um modo para... para mostrar a Capital que eu não pertenço a eles. Que eu sou mais do que uma peça no Jogo deles,” diz Peeta.

Minha conclusão foi: “Por que eu demorei tanto para ler esse livro?” Ele foi para a minha listinha de livros preferidos sem dúvida. Um romance fofo e sem exageros, uma aventura de tirar o fôlego e momentos para derramar lágrimas. Não é uma leitura leve, de jeito nenhum, mas é certamente uma leitura marcante.

Clique em "Continue lendo" para ver o pôster flamejante do filme que será lançado dia 23 de março de 2012.

Geral: (5/5)
Narrativa: (5/5)
História: (5/5)
Facilidade de Leitura: (4/5)
Design: (5/5)
Revisão: (5/5)


POSTER


Comentários via Facebook

 
Vector Credits