Resenha: Todas as Estrelas do Céu - Enderson Rafael




  • Título: Todas as Estrelas do Céu
  • Autora: Enderson Rafael
  • Editora: Novas Idéias
  • Ano: 2010
  • Páginas: 160

Podem dois irmãos adotivos se apaixonarem um pelo outro?
Caroline e Leandro são dois adolescentes de uma bem resolvida família de classe média, ele adotado, ela filha biológica do casal Marco e Lúcia. Diante dos conflitos da adolescência, do colégio, do vestibular, ambos se vêem diante de mais um dilema: um amor impossível e todas as consequências da busca pela felicidade ao lado da pessoa amada. O desafio dos dois em entenderem o que passa consigo mesmo, em enfrentar os pais, a sociedade e sua própia consciência é exposta neste romance honesto, ágil e de final surpreendente.
"Todas as estrelas do céu". Uma obra polêmica e doce ao mesmo tempo, com um tema inusitado, falado de igual para igual com os jovens ou mesmo para quem já passou da adolescência.

Romeu e Julieta aqui no Brasil. Foi o que eu senti quando terminei o livro. Um amor proibido, no qual Carol e Lê sentem que estão cometendo um pecado, mas será que isso é possível? Será que um sentimento tão bonito pode ser algo ruim?

O livro do Enderson trás tantas impressões que quando você lê não sabe com o que fica mais deslumbrado. Talvez o que tenha chamado mais atenção seja o cenário, a história dos dois irmãos adotivos se passa no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, viajando entre cidades tão bem descritas pelo autor que deixou aquela impressão de um pequeno paraíso, seja quais foram as cidades que ele mencionou (Teresópolis, Petrópolis, etc), ele deixou bem claro que esteve nelas, e que sabia do que estava falando.

Há tanto tempo eu queria ler o “Todas”, mas por motivos variados, eu sempre acabava sem poder comprar, então quando o Enderson veio aqui em Recife para a Bienal, foi uma oportunidade que eu não pude deixar passar, até deixei de lado o livro que estava lendo para poder ler logo o Todas e poder dar minha opinião para ele, e devo dizer que está aprovadíssimo. O casal Carol e Leandro são uns amores, e os amigos deles, nem se fala.

Imaginei, porém, que seria uma leitura difícil, e, de fato, foi um pouco. O livro é um misto de emoções conflitantes, como poderia dois irmãos, mesmo que adotivos, se apaixonarem? Quem consegue imaginar isso? Eu, que só tenho irmãs, não vejo como isso poderia acontecer, mas aconteceu para Carol e Lê. Eles dois sempre foram bem unidos, e sempre se entenderam mais do que qualquer pessoa. Talvez o sentimento sempre tivesse existido dentro deles, mas só quando eles foram maduros o suficiente para lidar com aquilo é que o amor apareceu. Lendo sobre o casal principal, é impossível não torcer por eles, vendo o quanto se fazem felizes, mas quando olhamos por uma perspectiva exterior, eu não consigo imaginar como eu reagiria se o mesmo acontecesse com amigos meus, ou mesmo alguns conhecidos.

Entretanto, eu queria que a história tivesse durado um pouco mais. Foi um livro muito pequeno para uma história tão linda. Queria que eles ficassem mais tempo juntos antes de os problemas aparecerem, tudo acontece tão rápido que há muito pouco tempo para respirar, tanto nós, quanto os personagens do livro. 160 páginas deixam você pedindo por mais.

Bom, mas o que importa se o livro é pequeno, se ele vale a pena ser lido, não é? Enderson, Will Shaks ficaria orgulhoso de você.

E agora é só esperar por Três Céus, o novo livro do Enderson e está previsto para ser lançado no primeiro semestre de 2012. O Enderson me prometeu, de fã de Coldplay para fã de Coldplay, que eu iria amar, hahaha.

Geral: (5/5)
Narrativa: (5/5)
História: (5/5)
Facilidade de Leitura: (5/5)
Design: (5/5)

Comentários via Facebook

 
Vector Credits